Caminhada noturna na Serra da Arada

Antes do fim de semana preenchido de 9 e 10 de Setembro (+ info), este Sábado, dia 2 de Setembro há a caminhada nocturna da Montis.

 

A caminhada terá 3 km na serra da Arada, sob o luar.

O início será às 20h00 (ainda com alguma luz do dia), e vamos trocando a luz do sol por lua. Terminará no Portal do Inferno com uma merenda oferecida pela Montis e com tempo para conversar.

Como chegar:

Vindo de S. Pedro do Sul – Seguir as indicações para a Serra da Arada e S. Macário (igreja e miradouro do topo da Serra da Arada), atravessando as aldeias de Ponte (Junto a S. Pedro do Sul), Alvarinho, Oliveira, Sul e Aldeia. Uma vez no cruzamento para o S. Macário, seguir à esquerda para Covas do Monte/Portal do Inferno.Seguir sempre essa estrada até ao cruzamento de Covas do Monte, aí é o ponto de encontro (Nesse cruzamento à direita é Covas do Monte à esquerda é Arouca).

Vindo de Arouca – Seguir a estrada M510 em direção a Janarde e Regoufe. Depois da aldeia de Ponte de Telhe, seguir à direita para a estrada M567 em direção ao Geopark de Arouca e aldeia de Drave. Uma vez no topo da serra, seguir a mesma estrada até ao cruzamento de Covas do Monte.

Coordenadas GPS do ponto de encontro: 40º52’24.0”N, 8º05’12.5”W

O que trazer:

O Portal do Inferno, como o próprio nome indica, costuma ser muito ventoso. Mesmo numa noite de verão convém trazer um corta-vento para o caso de ficar frio.

Quem tiver pequenas lanternas ou LED’s pode trazer. Como o percurso é por um troço asfaltado, será uma ajuda para sinalizar o grupo.

Contactos e inscrições:

Para fazer a inscrição na atividade ou pedir informações, pode contactar a Montis através do e-mail: montisacn@gmail.com ou do 926 277 545

Visita e intervenção à parcela da Peninha, no PN Sintra-Cascais

No dia 16 de Setembro a Montis, em cooperação com a Plantar Uma Árvore, irá estar presente na Peninha, no Parque Natural Sintra-Cascais para uma visita aos trabalhos que têm sido realizados nesta parcela pela Plantar Uma Árvore e participar na intervenção.

Vista do Miradouro da Peninha


Programa:

09:15 Acolhimento (15m)
09:30 Enquadramento do Projecto da Associação e da Intervenção (1h)
10:30 Intervenção (2h)
12:30 Pequena Caminhada e visita ao Miradouro e Santuário da Peninha (apenas é possível a visita ao exterior) (30m)

COMO CHEGAR
ponto de encontro: Parque de estacionamento de acesso ao Santuário da Peninha.
localização: Rua dos Capuchos | Peninha | Santuário da Peninha (http://pz4.69.sl.pt)
Nunca use o GPS porque é inviável para o fazer chegar ao ponto de encontro.
A rede de telemóvel no local é inexistente ou muito reduzida, pelo que deve planear a sua deslocação com antecedência e partir com tempo e munido de informação como chegar ao ponto de encontro.
Minimize a sua pegada ecológica optando pela partilha de viatura e custos. Evite deixar objetos de valor dentro do veículo.
EQUIPAMENTO
ROUPA indicada para atividade física moderada e que se possa sujar, com preferência para as calças e
camisola de manga comprida | CALÇADO – galochas ou botas | IMPERMEÁVEL, caso chova | CHAPÉU
E PROTETOR SOLAR , caso faça sol | ÁGUA E MERENDA, para repor forças durante a actividade
ATIVIDADE
O grupo irá receber todas as indicações necessárias para a actividade e não deve dirigir-se para o terreno sem o acompanhamento dos técnicos e monitores. Especial atenção ao manuseio das ferramentas.
TERMO DE RESPONSABILIDADE
O voluntário assume integralmente a responsabilidade pelos riscos inerentes à participação. A organização não se responsabiliza por qualquer acidente, dano físico, material e/ou moral ocorrido no âmbito do evento que envolva os participantes.
CONTACTOS Plantar uma árvore
Mariana Dias: 911 973 609
Miguel Teles: 963 853 383
CONTACTOS Montis
Luís Lopes 926 277 545
montisacn@gmail.com

Caminhar sob o luar.

No dia 02 de Setembro o passeio mensal da Montis será sob o luar, através de uma caminhada norturna de 3 km na serra da Arada.

Com a lua cheia a atingir o seu pico no dia 6 de Setembro, e com a caminhada a começar pelas 20h00 (ainda com alguma luz do dia), vamos trocando a luz do sol por um luar fantástico. Termina no Portal do Inferno com uma merenda oferecida pela Montis e com tempo para conversar, inevitavelmente falar sobre lobos (estarão por ali certamente), sobre o plano de ações do Lobo Ibérico em que a Montis está envolvida e outros assuntos.

O programa:

20h – Encontro no cruzamento de Covas do Monte (40º52’24.0”N, 8º05’12.5”W ou O)
21h15 – Fim da caminhada no Portal do Inferno e merenda

Como chegar:

Vindo de S. Pedro do Sul – Seguir as indicações para a Serra da Arada e S. Macário (igreja e miradouro do topo da Serra da Arada), atravessando as aldeias de Ponte (Junto a S. Pedro do Sul), Alvarinho, Oliveira, Sul e Aldeia. Uma vez no cruzamento para o S. Macário, seguir à esquerda para Covas do Monte/Portal do Inferno.Seguir sempre essa estrada até ao cruzamento de Covas do Monte, aí é o ponto de encontro (Nesse cruzamento à direita é Covas do Monte à esquerda é Arouca).

Vindo de Arouca – Seguir a estrada M510 em direção a Janarde e Regoufe. Depois da aldeia de Ponte de Telhe, seguir à direita para a estrada M567 em direção ao Geopark de Arouca e aldeia de Drave. Uma vez no topo da serra, seguir a mesma estrada até ao cruzamento de Covas do Monte.

Coordenadas GPS do ponto de encontro: 40º52’24.0”N, 8º05’12.5”W ou O

O que trazer:

O Portal do Inferno, como o próprio nome indica, costuma ser muito ventoso. Mesmo numa noite de verão convém trazer um corta-vento para o caso de ficar frio.

Quem tiver pequenas lanternas ou LED’s pode trazer. Como o percurso é por um troço asfaltado, será uma ajuda para sinalizar o grupo.

Contactos e inscrições:

Para fazer a inscrição na atividade ou pedir informações, pode contactar a Montis através do e-mail: montisacn@gmail.com ou do 926 277 545

E assim se passou a noite no Carvalhal.

Na noite no carvalhal do passado dia 12 para dia 13, houve muito mais que a dormida e as estrelas.

O dia iniciou-se com a manhã a ser dedicada à intervenções no carvalhal. O grupo focou-se na limpeza dos rebentos ao longo do troncos dos carvalhos para continuarmos a promover o seu crescimento vertical o mais rápido possível. 

 

 Antes e depois.
Com as temperaturas altas, chegou a altura da merenda e do descanso à sombra do nosso carvalhal. Após o repouso, o grupo percorreu o trilho da Cabrieira, um trilho circular pelo interior da propriedade.
O grupo (com o Nuno Borges em falta).
Às 16h, iniciámos o percurso dos carvalhos, com uma duração de cerca de 3h a um ritmo calmo que permitiu irmos discutindo o que víamos. E sempre acompanhados pelas amoras que surgiam abundantemente nas bermas dos caminhos.

 O jantar foi no miradouro do carvalhal com o pôr-do-sol pintando o céu com as suas cores.

E no miradouro permanecemos, instalados nos sofás naturais que o miradouro nos disponibiliza, para observar as Perseidas, o ponto alto da chuva de meteoros. 
Do sofá para a cama, a caminhada nocturna fez-se desde o miradouro até ao lameiro rodeado de carvalhos que nos hospedou e proporcionou uma noite tranquila, com o sol a aparecer sorrateiramente já depois do grupo estar a pé, para o ver surgir.
Acampamento pela manhã, com o sol a surgir na copa dos carvalhos.
Antes da despedida, ainda fizemos mais umas paragens pelas redondezas do carvalhal de Vermilhas.
 . 
No próximo dia 10 de Setembro teremos o dia no Carvalhal para quem quiser conhecer o carvalhal de todos nós e as suas redondezas.

Passeio pelas poldras, carvalhais e muito mais.

O passeio da biodiversidade de Agosto será em Fataunços, Vouzela, próximo sábado, dia 19.

O início está marcado para as 10h no Jardim de Fataunços, junto à junta de freguesia (Google maps: https://goo.gl/h3EriF ; GPS: 40 º 43 ‘ 31.85 ” N; 8 º 4 ‘ 45.68 ” O).

Ao longo do passeio teremos oportunidade de ver várias formas de ocupação de solo e entender as suas transformações.

Iremos atravessar povoações, os seus campos agrícolas, a ribeira de Ribamá (onde nos poderemos refrescar) e áreas de bosques e florestas.

O percurso terá um total de 5 Km de dificuldade média (o percurso é maioritariamente em caminhos com boas condições, geralmente plano, possuindo algumas subidas que apesar de não muito extensas possuem uma inclinação considerável).

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através de montisacn@gmail.com ou 926277545 (Luís).

Apesar de grande parte do percurso ser efetuado à sombra, é aconselhado aos participantes se fazerem acompanhar com água e chapéu.

3 000 e resto

A Montis comunica muito mal, tem muito poucas ligações às redacções dos jornais, tem uma capacidade limitada de mobilização, não tem ainda um site, comunica através de mail, um blog, uma página e um grupo de Facebook.
Tem tido, no entanto, uma preocupação central: a de manter os seus sócios informados sobre o que é feito do dinheiro que nos entregam.
Nem sempre conseguimos explicar tudo certinho, nem sempre as coisas correm bem, mas a verdade é que pouco mais de três anos depois da sua fundação a Montis, com todos os problemas de gestão que tem, tem feito muito mais do que imaginámos há três ou quatro anos.
A nossa página de Facebook tem agora 3000 seguidores, dez vezes mais que os nossos 310 sócios, a maior parte dos quais resultantes de um crescimento orgânico e lento, sem grandes recursos empenhados em outras coisas que não sejam a gestão de terrenos.
Duas campanhas de crowdfunding com sucesso, com valores que estão muito acima da média das campanhas de crowdfunding em Portugal.
O envolvimento num projecto LIFE para a criação de uma rede europeia de espaços privados dedicados à conservação, que durará os próximos dois anos e esperamos que nos possa trazer novidades em matéria de trabalho em rede para a gestão privada da conservação da natureza e comunicação.
O envolvimento na preparação de uma outra candidatura LIFE, dedicada ao voluntariado, que mesmo que não venha a ser aprovada já é um grande avanço no trabalho em rede com organizações diferentes e que se podem “iluminar mutuamente”.
O envolvimento numa outra candidatura, chumbada, para o financiamento de uma rede dedicada ao pastoreio enquanto instrumento de gestão do território, que provavelmente será a base da formalização de uma organização com esse objectivo e de eventuais candidaturas que nos permitam pensar num maior impacto do pastoreio com objectivos de conservação.
A participação em várias iniciativas de terceiros – este Sábado estaremos a apresentar o trabalho da Montis numa acção de campanha eleitorial do Bloco de Esquerda, em Carregal do Sal, tal como fizemos com o PAN nas últimas legislativas e faremos com qualquer partido ou candidatura que ache útil discutir o que fazemos, dando-nos oportunidade para apresentar publicamente o que fazemos (recusamos todos os vários convites para fazer figura de corpo presente em qualquer acção política) – em que procuramos aprender e reforçar a ideia de que é possível, às pessoas comuns, fazer mais que o que pensam a favor da gestão sustentável do território, sem estar permanentemente dependentes do Estado.
Aprovação de uma candidatura PDR 2020 que nos permitirá intervir de forma mais consistente numa das propriedades em que temos tido, até agora, menos capacidade de intervenção, procurando articular com a candidatura LIFE em curso para ter o maior efeito demonstrativo possível.
Mas, acima de tudo, o que mais nos orgulha: o facto de, com altos e baixos, termos mantido um conjunto de iniciativas, dirigidas aos nossos sócios, mais lúdicas e pedagógicas, como os passeios (que se têm auto-financiado, apesar de gratuitos, porque os donativos dos participantes o têm permitido, evitando desviar dinheiro das quotas que é fundamental para a gestão dos terrenos), ou envolvendo maior colaboração, como nas acções de voluntariado, tudo isto em paralelo com resultados concretos, visíveis e escrutinados na gestão de terrenos com objectivos de conservação.
Vamos tentando dar o máximo de informação sobre a gestão dos terrenos para manter em aberto discussões racionais sobre opções de gestão que são, inevitavelmente, menos consensuais, como o uso de fogo controlado.
Neste fim de semana, e no mês que vem, vamos repetir uma acção a que damos muita importância: a noite no carvalhal, e no mês que vem, o dia no carvalhal, para que todos os que queiram avaliem como está a evoluir a propriedade que foi comprada com o dinheiro que conseguimos juntar no primeiro crowdfunding que fizemos.
Há coisas menos visíveis, como o nosso acordo com a Vieira de Almeida, um grande sociedade de advogados que nos apoia e que achamos muito importante para garantir a transparência do que fazemos, tal como a recente contratação de apoio contabilístico profissional, com os mesmos objectivos de rigor e transparência.
A sustentabilidade da Montis está longe de estar assegurada, é certo, a comunicação é uma fragilidade a que vamos procurar dar resposta nos próximos tempos, a melhoria das condições de trabalho de quem nos apoia profissionalmente é uma preocupação grande e mal resolvida ainda, enfim, há muitas razões para ter preocupações com o futuro da Montis, mas quanto ao passado, por enquanto curto, pensamos que podemos estar descansados: temos feito coisas úteis.

No carvalhal de manhã à noite (e até à manhã seguinte)

É já este sábado, dia 12, que irá decorrer a Noite no carvalhal, em Vermilhas.

De manhã, faremos alguns trabalhos de intervenção inseridos no voluntariado mensal.

Após almoço, o programa de tarde/noite, entre as 15h00 e as 24h00, consistirá numa caminhada pela zona, ao cair da noite um passeio pelo interior do carvalhal e no fim, observar a chuva de estrelas das Perseidas.

Haverá vários períodos com tempo livre para os participantes fazerem aquilo que entenderem no carvalhal ou nos arredores.

Quem quiser, poderá acampar no carvalhal para o dia seguinte, por exemplo.

Os horários são totalmente flexíveis (nós seguramente estaremos na propriedade durante todo o programa), podem vir de bicicleta ou de carro, com a família ou amigos, como quiserem.

Disponibilizaremos ferramentas, tendas, alimentação (em modo picnic) e seguro de acidentes pessoais a todos os inscritos.

Inscrevam-se ou peçam mais informações através do e-mail montisacn@gmail.com ou do nº 926277545 (Luís).

Percurso das Poldras

O próximo passeio mensal da Montis será em Fataunços, Vouzela.

Faremos parte do PR7 – Percurso das Poldras, com cerca de 5 km. Este é um percurso de dificuldade média/baixa, apto a pessoas de todas as idades, com uma duração de cerca de 2 horas e 30 minutos.

É uma boa opção para uma manhã de Verão diferente, já que a maior parte do percurso tem sombra, e há ainda a possibilidade de nos refrescarmos na Ribeira de Ribamá.

Neste percurso, poderemos encontrar campos agrícolas, carvalhais, pinhais e outras espécies, dando-nos a oportunidade de comparar de que forma se comportam cada um destes núcleos. Podemos ainda ver carvalhais maduros, que se aproximam muito do que queremos para o carvalhal da Montis, em Vermilhas.

O percurso é pautado por toda esta biodiversidade, mas também por diverso património cultural, que podem descobrir no Sábado, 19 de Agosto pelas 10:00.

Se quiserem trazer um cesto, haverá muitas amoras pelo caminho.

Inscrições ou mais informações através do 926 277 545 ou montisacn@gmail.com

Dia de voluntariado, Noite de céu estrelado

É já no Sábado, dia 12 de Agosto que teremos a segunda edição da Noite no Carvalhal.

Noite no Carvalhal – 2016

O voluntariado mensal, realizar-se-á no mesmo dia, entre as 10:00 e as 16:00, e as intervenções servirão para preparar o terreno para as actividades dessa noite.

Durante a tarde teremos oportunidade de visitar as duas propriedades do carvalhal da Montis, haverá música, convívio e a habitual merenda.

Nessa noite está prevista a actividade máxima da famosa chuva de estrelas das Perseidas, pelo que promete ser uma noite memorável.

Não prometemos imagens destas, mas valerá a pena visitar-nos.

Se quiserem ter um dia e uma noite diferente, juntem-se à Montis  no carvalhal de Vermilhas para podermos ver e discutir os resultados do modelo de gestão que temos adoptado. Estaremos no carvalhal desde as 10:00 de Sábado até ao dia seguinte, pelo que podem aparecer quando quiserem.

Disponibilizaremos ferramentas, tendas, alimentação (em modo picnic) e seguro de acidentes pessoais a todos os inscritos.

Manhã de banhos no Rio Teixeira

Sábado, dia 29, realizou-se o Passeio da Água da Montis, no Rio Teixeira.

Com 23 participantes, o passeio iniciou-se com a descida até ao leito do rio, onde começámos o percurso, em sentido contrário à direcção da água. 
Primeiro contacto dos participantes com o rio.

O passeio fez-se a um ritmo lento, quer pelo interior do leito, quer pelas suas margens.
A importância das galerias ripícolas foi igualmente abordada ao longo do percurso, possibilitando a comparação entre a vegetação presente nas margens do rio com a observável nas encostas circundantes.

Ao longo do percurso, foram feitas várias paragens sobre fauna e flora. O Adernal (que constitui aqui um refúgio), várias espécies florísticas, rãs, libelinhas, entre outros tiveram a atenção do nosso grupo.

Aderno
Uma das Rãs capturadas (e soltas de seguida). 


E ainda fizemos a prova de amoras.

Como não poderia deixar de ser, ao longo de todo o percurso, aproveitámos para uns tempos refrescantes dentro de água e para desfrutar dos poços que o Rio Teixeira nos oferece.